Alimentación en la enseñanza de ciencias: una revisión bibliográfica de 2012 a 2022

Autores/as

DOI:

https://doi.org/10.17227/ted.num56-18966

Palabras clave:

alimentación, educación alimentaria, enseñanza de las ciencias, revisión bibliográfica

Resumen

La alimentación puede ser un tema facilitador para promover lecturas amplias de nuestro entorno, dada su relación con aspectos biológicos, sociales, políticos y económicos. Es interesante tener un panorama de cómo se ha trabajado el tema, en dirección a la continuidad o al desarrollo de otros enfoques. De esta forma, buscamos construir un estado del conocimiento sobre las producciones que abordaron el tema en la enseñanza de las ciencias. Para ello, se recopilaron 171 trabajos entre 2012 y 2022, procedentes del Portal de Periódicos CAPES, la BDTD y Actas del. ENPEC. Los datos fueron organizados en una hoja de cálculo, distribuidos por año, revista y región, y divididos en secciones temáticas de Reseñas bibliográficas, Análisis de libros de texto y debates sobre currículo, Trabajos en contexto de Educación Básica y Trabajos en contexto de docentes en formación y/o en ejercicio. Los resultados mostraron pocas obras en el norte y el noreste del país. Se observaron diversos tratamientos, con una marcada presencia del enfoque nutricional y del uso para contextualizar o abordar su relación con los contenidos curriculares. También se abordaron la interdisciplinariedad y la necesidad de formación del profesorado. Destacamos y defendemos las posibilidades que, además de abordar el tema de forma amplia, valoran la conexión de estos con el contexto y la realidad de los alumnos. En esta perspectiva, mucho se puede pensar y construir en la enseñanza de las ciencias, con este tema.

Citaciones

Crossref Cited-by logo
0

Métricas PlumX

Visitas

52

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Biografía del autor/a

Thiago Emmanuel Araújo Severo, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Biólogo (licenciado e bacharel) pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Mestre e Doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Atualmente é professor Adjunto da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, vinculado ao Departamento de Práticas Educacionais e Currículo (DPEC). É docente permanente vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Naturais e Matemática (PPGECNM/UFRN). É membro do Grupo de Estudos da Complexidade e da Vida - GRECOMVIDA (UEPB) e do grupo de História, Cultura e Ensino (UEPB). Atua na área de Educação, tendo como foco educação, popularização e divulgação da cultura científica; formação de professores/as de ciências; perspectivas transdisciplinares para o ensino e aprendizagem das ciências e da biologia. Recentemente tem pesquisado sobre a formação de cientistas e professores/as, com ênfase nos seguintes temas: divulgação e popularização das ciências; diálogo de saberes e múltiplas expressões das culturas na educação científica; e aprendizagem colaborativa em espaços híbridos universidade/escola. É editor gerente do periódico Revista Cadernos de Estágio (ISSN: 2763-6488) e coordenador do projeto de extensão e divulgação científica Ciências na Cidade (PROEX/UFRN).

Citas

Alberecht, R. F., & Ohira, M. L. B. (2000). Bases de dados: metodologia para seleção e coleta de documentos. Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, 5(5), 131–144.

Bardin, L. (2016). Análise de Conteúdo. Edições 70.

Canhada, S. L., Vigo, A., Luft, V. C., Levy, R. B., Matos, A. M., Molina, M. C., Giatti, L., Barreto, S., Duncan, B. B., & Schmidt, M. N. (2023). Ultra-Processed Food Consumption and Increased Risk of Metabolic Syndrome in Adults: The elsa-Brasil. Diabetes Care, 46(2), 369-376.

Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. (1988).

Grisa, C., & Porto, S. I. (2023). Políticas alimentares e referenciais setoriais na trajetória brasileira. Revista de Economia e Sociologia Rural, 61(3), 1-20.

Lei Nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. (1996). Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União.

Lei Nº 13.666, de 16 de maio de 2018. (2018). Altera a lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, para incluir o Tema Transversal da Educação Alimentar e Nutricional no currículo escolar. Diário Oficial da União.

Menon, A. M., Bernardelli, M. S., & Passos, M. M. (2020). Mediando a alimentação de escolares por meio de uma sequência didática. Revista Brasileira de Ensino de Ciências e Matemática, 3(1), 300-315.

Mialon, M., Ho, M., Carriedo, A., Ruskin, G., & Crosbie, E. (2021). Beyond nutrition and physical activity: food industry shaping of the very principles of scientific integrity. Global Health, 17(37), 1-13.

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. (2021). Registros concedidos – 2005 – 2021.

Ministério da Educação – mec. (1997a). Parâmetros curriculares nacionais: apresentação dos temas transversais, saúde. Secretaria de Educação Fundamental (mec/sef).

Ministério da Educação – mec. (1997b). Parâmetros curriculares nacionais: Ciências Naturais. Secretaria de Educação Fundamental (mec/sef).

Ministério da Educação – mec. (1998). Parâmetros curriculares nacionais: Ciências Naturais. Secretaria de Educação Fundamental (mec/sef).

Ministério da Educação – mec. (2018). Base Nacional Comum Curricular. Secretaria de Educação Fundamental (mec/sef).

Ministério da Saúde. (2014). Guia Alimentar Para a População Brasileira.

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à fome. (2012). Marco de Referência de Educação Alimentar e Nutricional Para Políticas Públicas.

Motta, M. B., & Teixeira, F. M. (2012). Educação Alimentar na escola: por uma abordagem integradora nas aulas de ciências. Inter-Ação, 37(2), 359-379.

Nilson, E. A.F., Ferrari, G., Louzada, M. L. D. C, Levy. R. B., Monteiro, C. A., & Rezende L. F. M. (2022). The estimated burden of ultra-processed foods on cardiovascular disease outcomes in Brazil: A modeling study. Frontiers in Nutrition. (9), 1-9.

Paiva, J. Magalhães, L., Santos, S., Santos, L., & Trad, L. (2019). A confluência entre o “adequado” e o “saudável”: análise da instituição da noção de alimentação adequada e saudável nas políticas públicas do Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 35(8), 1-12.

Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar – penssan. (2021). vigisan: Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da covid-19 no Brasil.

Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar – penssan. (2022). ii vigisan: Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da covid-19 no Brasil.

Santos, G. S. dos, & Oliveira, M. de F. A. (2021). Estratégias de ensino voltadas para educação alimentar: um artigo de revisão. Debates em Educação, 13(31), 621–647.

Stake, R. (2011). Pesquisa Qualitativa: estudando como as coisas funcionam. Penso.

Zancul, M. S. (2017). Educação alimentar na escola: para além da abordagem biológica. Araraquara: Temas em Educação e Saúde, 13(1), 14-23.

Publicado

2024-07-01

Cómo citar

Damasceno, S. C. y Severo, T. E. A. (2024). Alimentação no Ensino de Ciências: uma revisão de literatura de 2012 a 2022. Tecné, Episteme y Didaxis: TED, (56), 225–240. https://doi.org/10.17227/ted.num56-18966

Número

Sección

Artículo de investigación en

Métricas PlumX